Somos amantes da teledramaturgia. Respeitamos a arte e a criação acima de tudo. Nosso profundo respeito a todos os profissionais que criam e fazem da televisão essa ferramenta grandiosa, poderosa, que desperta os mais variados sentimentos. Nossa crítica é nossa colaboração, nossa arma, nosso grito de liberdade.



ENTREVISTAS EXCLUSIVAS

Free DHTML scripts provided by Dynamic Drive

sexta-feira, 8 de abril de 2011

 


LARA COM “Z”
Escrita por: Aguinaldo Silva e Maria Elisa Berredo
Direção geral: Wolf Maya

por Guilherme Staush


A série Lara com “Z” (alusão a um show de TV intitulado Liza com “Z”, da atriz Liza Minelli) é um spin-off de “Cinquentinha”, uma das grandes surpresas do final de 2009 da programação da Globo, sendo que apenas o núcleo de Lara Romero, uma estrela decadente interpretada por Suzana Vieira, foi transplantado para o novo seriado da emissora, que estreou nesta última quinta-feira.

É impossível falar qualquer coisa de Lara, sem antes comentar sobre duas das figuras mais importantes do seriado: os polêmicos Aguinaldo Silva, o autor e Suzana Vieira, a protagonista. A personalidade de ambos transcende tudo o que fazem na televisão, deixando sempre em segundo plano o trabalho artístico dos dois.

Suzana Vieira é uma ótima atriz, mas tem ficado bastante visada nos últimos anos por sua coleção de micos e pérolas expostos na mídia, apagando aos poucos o que levou anos pra construir: uma carreira sólida com mais de 40 anos de TV Globo, da qual ela tanto se vangloria. Tudo isso devido a uma superexposição desnecessária. Já o autor Aguinaldo Silva, em suas últimas novelas, acabou sendo mais comentado por suas declarações polêmicas na internet do que propriamente pelas suas obras. Tanto que nos fóruns de discussão sobre teledramaturgia é muito comum ver os internautas comentarem mais os excessos cometidos por ambos do que seus atributos profissionais. Contudo, é preciso ser imparcial e saber criticar uma obra televisiva sem pré-conceitos (na medida do possível, é claro).

O primeiro episódio de “Lara com Z” foi ao ar com os telespectadores ainda traumatizados com a notícia que tomou conta do dia: o massacre na escola Tasso da Silveira, na zona oeste do Rio. A trama girou em torno da estreia da peça MacBeth, de Shakespeare, remontada por Lara com dinheiro captado para fazer um filme sobre um famoso escritor de novelas, mas que acabou não vingando. Com a verba, a atriz compra o teatro São João para apresentar sua almejada peça, e assim, mostrar que ainda é uma estrela de primeira grandeza.
As intrigas de bastidores e a vida conturbada da protagonista deram o tom da comédia.
Humberto Martins interpreta Leandro, um fiscal do governo que aparece justamente na estreia da peça, e que, por acidente, acaba tomando o lugar do ator principal, interpretado pelo ótimo Guilherme Weber.

Como não poderia deixar de ser, a estreia é um fracasso, e culmina com mais um escândalo de Lara, que ameaça se jogar do alto do teatro. Os jornais no dia seguinte revelam o fiasco e a contínua decadência da atriz, alvo da impiedosa crítica Sandra Heibert, papel de Eliane Giardini.

O episódio de estreia ficou muito centrado na nova empreitada de Lara, com Suzana Vieira presente na maioria das cenas, deixando grande parte do elenco sem muito o que fazer.
Humberto Martins era ótimo ator quando tinha um estilo próprio de interpretar. Depois de um certo tempo, o ator deu para usar diferentes entonações e trejeitos especiais para diferenciar seus personagens, criando personagens caricatos e artificiais.

Destaque para a breve aparição de Beatriz Segall, longe das novelas desde “Bicho do Mato”, da Rede Record, em 2006.

O diretor Wolf Maya aproveitou para aparecer em cena executando a mesma função na peça estrelada por Lara.

A minissérie tem grandes chances de emplacar a partir do próximo episódio, quando se espera maior participação dos atores coadjuvantes, dando mais ritmo à trama. Suzana Vieira é ótima atriz, e, se não tem tanto pique para segurar nas cenas de humor, tem de sobra para as cenas mais dramáticas e trágicas de sua personagem. O seriado, ainda que com uma estreia menos empolgante do que foi a de “Cinquentinha”, tem grandes chances de se tornar um grande sucesso. Quem viver, verá.


7 comentários:

Anônimo disse...

"Lara Com Z" não me impressionou, acho que Lara Romero poderia ter morrido junto com o fim da minissérie "Cinquentinhas", um bom argumento que foi destruído pelo próprio autor Aguinaldo Silva, que não foi nem minissérie nem seriado ficou no meio do caminho e renderia uma boa novela se fosse observada com mais cautela. No primeiro episódio percebemos que Aguinaldo parece querer muito, mas ainda não encontrou o ritmo certo de um seriado, acho melhor que ele continue nas novelas.

abs,

Marcos Madeira

Ps: amei o blog

Anônimo disse...

Acho também que "Cinquentinha" deveria ter sido uma novela. Não gostei da minissérie, tanto que desisti de acompanhá-la após a primeira semana. Talvez a saída de Marília Pera e a entrada de Betty Lago (que acho fraca) me desestimularam.

Não vi a estréia de Lara com Z, achando que seria apenas mais do mesmo. Vou dar uma chance a Suzana e Aguinaldo na semana que vem.

Parabéns pela crítica, sobretudo pelo 3o parágrafo!

Eduardo Vieira (Recife/PE)

Pedrinho disse...

Uma crítica muito mal feita ao ator Humberto Martins que esteve ótimo em cena no primeiro episódio, fazendo um personagem sem nada de caricatura, mas com estilo próprio que promete muito. Humberto Martins é um ator excelente, extremamente versátil que tem feito muito sucesso ao longo de sua carreira como tipos que vão do mocinho ao vilão, do homem rico e educado ao jagunço tirano e analfabeto.

Lucianno disse...

Eu achei Humberto Martins maravilhoso como sempre, perfeito, versátil e lindooo !!!!

Rodrigo disse...

"Lara com Z" deve satisfazer muito bem o ego de Suzana Vieira. É a primeira produção da Globo onde ela é realmente a grande estrela, do jeito que ela sempre quis. Poderia se chamar "SuZana com Z", pois ficaria mais coerente.
Ela conseguiu tirar do caminho Marília Pêra, Marília Gabriela, Betty Lago, etc, e conseguiu um seriado só pra ela dominar absoluta.
O Aguinaldo Silva diz que o seriado é um sucesso, mas a audiência não concorda com ele.

edu vieira disse...

ou ainda Lara com S rssss

fiquei estupefato como um homem dito inteligente escreve um diálogo que uma tipa diz ter se tornado crítica de teatro( algo super fácil, não?) para perseguir a atriz de teatro Lara Romero....aliás, Lara e Shakeaspere são algo que não combinam mesmo, né?

edu vieira disse...

mea culpa...rsss estou acompanhando e me divertindo com o seriado. Acho bem escrito e o legal é que não é levado mesmo a sério,o teatro, Shakeaspere, a arte..tudo gira em torno da Lara Romero que por sua vez gira em torno da Suzana, cada vez mais Suzana e mesmo assim ótima atriz!