Somos amantes da teledramaturgia. Respeitamos a arte e a criação acima de tudo. Nosso profundo respeito a todos os profissionais que criam e fazem da televisão essa ferramenta grandiosa, poderosa, que desperta os mais variados sentimentos. Nossa crítica é nossa colaboração, nossa arma, nosso grito de liberdade.



ENTREVISTAS EXCLUSIVAS

Free DHTML scripts provided by Dynamic Drive

domingo, 21 de agosto de 2011



GUILHERME STAUSH
e n t r e v i s t a  

MATEUS SOLANO


 
"Para inovar na televisão, é preciso aceitar um pouco de rejeição, pelo menos no início".


Mateus Solano Schenker Carneiro da Cunha é um dos mais promissores atores da nova geração. Depois de uma ampla experiência em teatro e diversas aparições em seriados e novelas, seu grande momento veio na minissérie “Maysa – Quando Fala o Coração”, onde o ator interpretou o compositor Ronaldo Bôscoli. O sucesso foi instantâneo! Mateus logo virou o mais novo queridinho da Rede Globo, e logo foi convidado para viver os gêmeos Jorge e Miguel de “Viver a Vida”, do autor Manoel Carlos. Atualmente, ele dá vida a Ícaro, um gênio da robótica na novela das 7, “Morde & Assopra”.
O sorriso carismático, o talento e a versatilidade de Mateus fazem dele uma grande promessa para as futuras produções televisivas, teatro e cinema, e é uma grande satisfação poder contar com um jovem talento em nossa galeria de entrevistados.


Entrevista elaborada por Guilherme Staush.

1. O autor Paulo Autran declarou inúmeras vezes que só lhe ofereciam papéis de débil mental nas novelas, embora tenha feito grande sucesso em obras como “Pai Herói”, “Guerra dos Sexos” e “Sassaricando”. Assim como ele, é bastante comum ver os atores menosprezarem seus trabalhos na televisão. Você acha que esse veículo realmente oferece trabalhos menos importantes e significativos na carreira de um ator do que o teatro pode proporcionar? Por que o público sempre tem a impressão de que os atores levam o teatro mais a sério do que a TV?

Eu não menosprezo a TV e tenho respeito pela enorme importância da novela para a cultura brasileira. Novelas são mais voltadas para o entretenimento, e são feitas para um público tão grande que precisam ter algumas regras e limites nessa forte identificação que o público constrói com os personagens.

No teatro, e também no cinema, se pretende discutir mais a fundo o ser humano, levantar questões polêmicas, movimentar o mundo. E com uma liberdade absoluta. Muitas novelas conseguiram fazer isso! Mas a TV hoje brinda o espectador com o que ele já conhece, e  ama!

São veículos diferentes. O teatro é a casa do ator. É onde ele mais aprende, inclusive para fazer TV.
 

2. Diferente de alguns atores, você nunca havia tido um personagem fixo em uma novela, até protagonizar “Viver a Vida”. Fez alguns episódios de diferentes seriados e pequenas participações em novelas (chegou, inclusive, a fazer dois personagens diferentes em “Paraíso Tropical”). E já na primeira novela com papel fixo, encarou um grande desafio: fazer os gêmeos Jorge e Miguel numa novela das 9. Isso normalmente significa um “tudo ou nada” na carreira de um ator dentro da Globo. Você estava bastante seguro, na época, pelo fato de já ter tido bastante experiência em teatro, ou teve medo desse grande desafio de fazer esses dois protagonistas logo de cara?
Um desafio é sempre um desafio. Tenho segurança no meu trabalho, mas guardo sempre um espaço para o medo, o temor, que é muito importante. Além da experiência no teatro e nas participações que eu vinha fazendo na TV Globo, o que me ajudou muito para encarar Jorge e Miguel foi a preparação que fiz durante 1 mês com a Patricia Carvalho antes de começarem as gravações.
.
.
3. Em entrevista à jornalista Marília Gabriela, no GNT, você fez a seguinte declaração: “Com a fama, a intimidade das pessoas aumenta em relação ao que elas pensam que eu sou, e não ao que eu realmente sou, e isso não é bom”. Como você convive atualmente com o peso da fama? O que é que mais te incomoda pelo fato de você ser famoso?
Convivo muito bem hoje com o fato de ser famoso. O que mais me incomoda é perceber como certo tipo de imprensa pasteuriza a gente e transforma nossa vida pessoal em outra novela, impunemente e sem qualquer espécie de remuneração. Ganha-se muito dinheiro com a vida pessoal das pessoas. Ao meu ver, isso é errado. Acho que a única vida pessoal que devia interessar ao público é a vida pessoal do político, que devia prestar contas pra sociedade do que faz com o nosso dinheiro. Se o brasileiro se interessasse mais por política.... não ia ter pra ninguém!
.
.
.

4. Segundo algumas fontes, antes mesmo de obter os resultados da primeira pesquisa feita pelos grupos de discussão na novela “Morde & Assopra”, o autor Walcyr Carrasco resolveu fazer algumas alterações no núcleo dos robôs da novela. Seu personagem, o Ícaro, é um dos protagonistas da trama deste núcleo, que tinha um dos principais motes da novela. Quais foram os ganhos e as perdas de seu personagem com essas mudanças?
Acho que o personagem só foi ganhando durante a novela. Walcyr tenta adequar sua história ao gosto do público que a assiste. Foi só depois do primeiro grupo de discussão que ele resolveu mexer na novela, logo na segunda semana.
.
.
.
5. Ainda que “Morde & Assopra” seja uma novela das 7, horário caracterizado pelas comédias rasgadas, percebe-se nitidamente que as tramas dramáticas ganharam bem mais destaque no decorrer da novela, como a de Dulce (Cássia Kiss Magro) e a de Alice (Marina Ruy Barbosa), ambas envolvidas em dramas familiares. Isso mostra que o público ainda quer “mais do mesmo”, rejeitando as tramas mais inovadores e cômicas da novela. Qual sua percepção disso?  

Para inovar é preciso aceitar um pouco de rejeição, pelo menos no início. A TV Globo inova muito nas suas minisséries à noite, mas precisa de seu público fiel durante o dia. Portanto o IBOPE vai dizendo se esse ou aquele tema está dando certo. Acho que o público de novela gosta de assistir o que já conhece e adora. Revistas contam tudo o que vai acontecer no mês seguinte; o público compra a revista, sabe o que vai acontecer, e vai pra TV assistir aquilo que já leu. Porque ele sabe o que vai sentir. O brasileiro trabalha o dia inteiro e, quando chega em casa, quer ligar a TV e relaxar com uma história gostosa, feita pra ele.
.
.
.

6. Como surgiu a ideia de você, juntamente com os atores Wagner Moura, André Frateschi e Marcelo Laham gravarem o “Funk do Jussa”, nos bastidores da minissérie JK? Vocês esperavam que fosse virar um “hit” no Youtube?
Foi uma brincadeira nos bastidores! Claro que não esperávamos por nada, além disso. Mas foi tão divertido e o André é tão criativo (ele fez a música e editou o vídeo) que deu certo.
.
.
.

7- Hoje em dia, nas telenovelas brasileiras, ninguém bebe, ninguém fuma, ninguém faz sexo, os negros são chamados de “torradinhos”, e personagens com má conduta acabam ofendendo pessoas que compartilham da mesma profissão. O que você acha dessa onda do “politicamente correto” que o Brasil está vivendo, e que se reflete tanto nas telenovelas?
Novelas não fariam sucesso se não refletissem o gosto do público que as assiste. Esse tal "politicamente correto" é uma faca de dois gumes. É uma coisa nova e tudo o que é novo vem cheio de arestas e precisa ser adequado aos poucos. Outro dia comprei um DVD pra minha filha onde se cantava "Não atire o pau no gato-to, porque isso-so, não se faz, faz, faz...". Aí já acho demais! A maldade deve fazer parte do universo da criança também, pois não existe bondade sem a maldade. E eu nunca atirei nada em gato nenhum por causa disso. Então existe muita hipocrisia também. Agora, as novelas têm um poder de influência muito grande. Por isso entendo não se fumar ou fazer cenas de sexo numa novela que passa de tarde. Crianças são altamente influenciáveis. Há que se ter cuidado com o que vamos mostrar a elas, sem lhes roubar a inocência e pureza da infância. Quanto ao racismo, ele existe na sociedade e por isso é retratado na novela. O que não nos impede de ter um casal negro na novela das 9 fazendo muito sucesso.
.
.
.
BATE-BOLA
A melhor novela que já assisti foi ... Que Rei sou Eu?
Ser pai é ... ser feliz.
O maior sacrifício que faço em benefício do meu corpo/saúde é ... tomar antibióticos.
Uma cena de novela inesquecível: A descoberta dos diamantes em "O Mapa da Mina"!
Um vilão/vilã de novela inesquecível: Nazaré (Renata Sorrah) em "Senhora do Destino".


16 comentários:

Renato Pires disse...

Concordo que o Mateus seja uma grande promessa da TV, embora nao esteja curtindo esse personagem dele na novela das 7. Tomara que ele tenha a chance de pegar bons papeis futuramente.

Isaac Abda disse...

Entrevista curtinha, mas objetiva e satisfatória... passa exatamente a ideia que tenho do Mateus, um cara simples, "pés no chão", convicto do seu papel de ator...

Parabéns pela entrevista, Guilherme... O Agora tem se tornado cada dia mais, referência à nós blogueiros!

Abração!!!

Bia Nolasco disse...

Eu gosto muito do trabalho do Mateus. Acompanho faz tempo. Sempre achei que ele um dia voaria alto, e merecidamente! Bonito e talentoso! Parabéns ao blog pela entrevista.

Telinha VIP disse...

Que grande surpresa entrar aqui depois de uma semana e ver entrevistas com dois grandes atores: Mateus e Vanessa, e sempre co diferencial de vocês. Entrevistas inteligentes, que saem das perguntas comuns, e mostram outros lados dos entrevistados. Isso que acho bacana! Continuem entrevistando mais atores!

Abraço!

Brunno Duprat disse...

Maravilhosa entrevista. Adoro esse ator e torço para que venham mais personagens interessantes!!!

Anônimo disse...

Ótima entrevista! Parabéns pelo teor das perguntas e pelo valor do entrevistado!

Eduardo Vieira - Recife/PE

Emerson Felipe disse...

Mateus Solano é de uma simplicidade, carisma e elegância notáveis.
Parabéns ao entrevistado e aos entrevistadores.

FABIO DIAS disse...

Que show hein!
Mateus Solano entre os entrevistados do Agora!
Sou fã dele!
Ótima entrevista.

Abs

Jards Milan disse...

Mateus deu show como os gêmeos Jorge e Miguel. Conseguiu moldar bem os dois personagens. Em Morde e Assopra, o papel nao ajuda muito (e nem a novela). Fico com pena depois que um ator pega um papel tao bom, acaba caindo num papel tão pouco significativo. Ainda mais no caso do Mateus, que está despontando na TV.

Licinha disse...

Ele é primo da atriz Juliana Carneiro da Cunha.
Parabéns pela ótima entrevista. Curta, mas com perguntas inteligentes e temas interessantes. Ele foi bem diplomático nas respostas, sem fugir ao que foi perguntado.

Bjs a todos

Portal Cascudeando disse...

Acho ele muito bom ator.Pena que descaracterizaram o personagem cortando o cabelo dele em "Morde & assopra".
www.portalcascudeando.blog.com

Daniel disse...

Excelente entrevista com o Mateus Solano! Para mim, ele é o melhor ator dessa nova geração. Deu um show na TV ao interpretar os gêmeos em "Viver a Vida". Além disso, tem um grande carisma! Sucesso sempre pra ele!

André San disse...

Mateus Solano foi uma das principais revelações dos últimos anos. É muito bom ver um ator com estampa de galã e ainda saber atuar (claro que existem outros galãs talentosos, mas são poucos, vamos combinar?)! Não por acaso, tomou o posto de mocinho do Pasquim, rs. Ótima entrevista! PS: o sobrenome dele é "Carneiro da Cunha". Ele é parente da Gabriela Carneiro da Cunha, que vive a Raquel na novela?
André San - www.tele-visao.zip.net

Fábio Leonardo disse...

Excelente entrevista. Admiro bastante o Mateus Solano, como profissional e como pessoa, e esse ping-pong só fez crescer a estima que tenho por esse excelente ator. Parabéns aos Queridões que, como sempre, fazem gols em suas publicações. Abraços.

PS.: Faz tempo que não passo aqui. Mea culpa, mas tô voltando!

Daniel Pepe disse...

André, pelo que sei ele é primo da Juliana Carneiro da Cunha (fez a mãe da Deborah Evelyn em "Selva de Pedra"). Não sei qual o parentesco com a Gabriela.

Daniel Pepe disse...

André, descobrimos que Mateus é primo da Gabriela Carneiro da Cunha. ;)