Somos amantes da teledramaturgia. Respeitamos a arte e a criação acima de tudo. Nosso profundo respeito a todos os profissionais que criam e fazem da televisão essa ferramenta grandiosa, poderosa, que desperta os mais variados sentimentos. Nossa crítica é nossa colaboração, nossa arma, nosso grito de liberdade.



ENTREVISTAS EXCLUSIVAS

Free DHTML scripts provided by Dynamic Drive

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011






C  L A U D I A   O H A N A






Ela começou a carreira no cinema em 1979, com o filme Amor e Traição. Seu tipo bem brasileiro logo chamou a atenção, e Claudia Ohana logo foi dando o ar de sua graça também na TV. Sua estreia veio em grande estilo no ano de 1984: como protagonista da novela Amor com Amor se Paga, de Ivani Ribeiro, ao lado de Edson Celulari, e a oportunidade de contracenar com grandes atores como Ary Fontoura e Adriano Reys. Na sequência, vieram personagens de grande sucesso, como a jornalista Paula, de Rainha de Sucata; a cantora-vampira Natasha, em Vamp; a diabólica Isabela Ferreto, em A Próxima Vítima; a ex-stripper Aurora, em As Filhas da Mãe, e a caminhoneira Cida, de A Favorita, entre outras.

Claudia engrandece ainda mais a galeria de entrevistados do “Agora” com seu talento e simpatia, impressos nas linhas dessa entrevista.



ENTREVISTA EXCLUSIVA 



Guilherme Staush pergunta
1- Logo que você surgiu no cenário artístico, eu lembro que você foi bastante comparada com a Sônia Braga, que tinha acabado de ir para o exterior, deixando uma lacuna a ser preenchida aqui no Brasil. Sua pele morena e os tipos sensuais que você fez no cinema colaboraram com essas comparações. Como você lidou com isso na época? Essas eventuais comparações que os brasileiros gostam tanto de fazer com as artistas que vão surgindo, costumam ajudar ou aborrecem pelo fato do artista querer se firmar pelo que é, e não por fazer lembrar a imagem de um mito?

Na verdade, eu era muito fã da Sônia. Então me senti realmente lisonjeada. Acho normal as pessoas precisarem de alguma referência para fazer comparações. Na época, não me aborrecia com isso e, depois, com o tempo, isso tudo passou. E aí cada um vai buscando o seu próprio caminho.

Sônia Braga como "Gabriela" (1975) e Claudia Ohana como "Tieta" (1989):
 personagens da obra de Jorge Amado.



Daniel Pepe pergunta
2-  Já contando com uma sólida carreira no cinema, sua estreia na tevê foi em Amor com Amor Se Paga (1984). Ao que consta, sua escolha aconteceu um pouco em cima da hora. Lembra-se de como aconteceu o convite? Como foi a experiência de estrear logo como a protagonista?

com Edson Celulari em "Amor
com Amor se Paga" (1984).
Televisão, para mim, era uma coisa muito distante. Mas achava importante como atriz brasileira fazer novelas. Por isso aceitei o convite, apesar de não me lembrar de como ele foi feito. Hoje em dia, vejo que eu estava muito crua para protagonizar uma novela. Aprendi muito com o Ary Fontoura, que era meu parceiro de cena, e com o Paulo Ubiratan, que dirigia a novela ao lado do Jayme Monjardim. Eles tiveram muita paciência comigo (risos)!






Daniel Pepe pergunta
3-  Depois de Amor com Amor Se Paga, você voltou às novelas somente em Tieta (1989). Houve falta de convites, ou na época você não se interessava tanto por tevê?

Eu me dedicava realmente ao cinema e estava sempre viajando. Eu até recebia convites para atuar na TV, mas, por falta de tempo mesmo, acabava não conseguindo fazer tudo o que eu gostaria na televisão. Teve alguns papeis que adoraria ter feito e não pude...



Guilherme Staush pergunta
Capa da revista Playboy, em 1985:
ensaio polêmico.
4- Seu primeiro ensaio para a revista Playboy, em 1985, virou clássico por apresentar fotos suas sem depilação. Já em 2008, no seu segundo ensaio, você apareceu “menos selvagem”, digamos. O que você pensa sobre toda essa repercussão sobre uma coisa tão banal, mas que acabou tendo proporções gigantescas? Você costuma ficar irritada quando falam sobre esse assunto ou leva mais na brincadeira?

Acho engraçado a minha Playboy ser tão lembrada porque, na época, era muito mais comum do que se imagina não se depilar. Então, levo mais na brincadeira mesmo! 



Duh Secco pergunta
5 - Seu desempenho como Isabela Ferreto, em A Próxima Vítima, fora aclamado por público e crítica. Entretanto, Você chegou a declarar que, por diversas vezes, saía exaurida das gravações, por conta do excesso de violência que envolvia a personagem. Qual é a sua avaliação deste trabalho? Como você avalia o impacto de Isabela Ferreto, tanto em seu trabalho de interpretação, como na repercussão da novela?

Eu acho que foi o meu primeiro trabalho maduro na televisão. Era bem diferente de tudo o que eu havia feito anteriormente. Eu tinha acabado de começar a fazer teatro, então isso contribuiu para que eu interpretasse a Isabela com tanta força. Na verdade, eu adoro os trabalhos que me exaurem. Recebi muitos elogios, ganhei prêmios... é um trabalho que tenho muito carinho e fico muito feliz de as pessoas lembrarem da Isabela e de uma novela tão maravilhosa que o Silvio de Abreu soube escrever divinamente. Bastava acreditar no que estava escrito e fazer!


A diabólica Isabela Ferreto apanhando do noivo Diego (Marcos Frota), em
"A Próxima Vítima" (1995).


Guilherme Staush pergunta
Com Tony Ramos: Aurora e Manolo
em "As Filhas da Mãe" (2001).
6 - Na novela As Filhas da Mãe, você interpretou a Aurora, uma ex-stripper semi-analfabeta, que era amante de Manolo (Tony Ramos). A personagem “falava errado” o tempo todo. Como é para uma atriz atuar com essa particularidade na prosódia? Você precisa se monitorar o tempo inteiro durante a interpretação para “falar errado”, ou você consegue atingir um grau em que essas particularidades da fala passam a ser inconscientes?

No começo era mais difícil... Depois, você vai se acostumando com os erros da personagem e tem que tomar cuidado para não levar para sua vida pessoal (risos).



Duh Secco pergunta
Com Jandir Ferrari em
Canavial de Paixões (2003).
7- Você participou apenas de uma produção fora da Globo, a novela Canavial de Paixões, do SBT. Como vê o avanço das outras emissoras no campo da dramaturgia? Acredita que Record e SBT podem chegar a atingir o padrão Globo de qualidade? O que a levaria a migrar pra outro canal de TV?

Concorrência é sempre bom! Isso abre mais o mercado de trabalho para o ator e estimula todos a crescerem.



Daniel Pepe pergunta
8- Você confirma sua escalação para a próxima novela de João Emanuel Carneiro? Como é sua relação com seu irmão? Na época de A Favorita vocês costumavam discutir sobre a sua personagem Cida?

Não estou escalada para a novela do João. Na época de A Favorita, por conta da nossa relação pessoal, discutíamos sim sobre a novela. É muito bom saber também a reação do autor, é uma oportunidade rara, que eu nunca imaginei que eu fosse ter. Imagina, depois de tantos anos de carreira, ter um irmão que se torna um autor de novelas! Eu o respeito muito e admiro demais o seu trabalho! Sempre vou estar junto dele, independente de estarmos trabalhando juntos ou não. 

Com Bento Ribeiro em "A Favorita" (2008).


Duh Secco pergunta
9-  Você declarou em entrevista a Isto É Gente (04 de outubro de 2001): “Nas salas vips dos aeroportos todos me deixam entrar porque sou conhecida. Mas acho um saco ficar no aeroporto dando autógrafo para todo mundo”. A fama facilita ou atrapalha a vida de Cláudia Ohana longe dos holofotes? O que o sucesso mudou em seu comportamento?

Nessa época, eu acho que ao veículo em questão não entendeu as minhas respostas. Fizeram uma matéria capciosa, onde distorceram completamente as minhas respostas. Em meus mais de 30 anos de carreira nunca fui tão mal interpretada.


Com Fábio Assunção, em "Vamp" (1991).



BATE-BOLA   com  CLAUDIA


Uma novela inesquecível: Selva de Pedra, com Regina Duarte e Francisco Cuoco.

Um mal necessário: Como diria Cazuza, em uma música de mesmo nome, a política.

Para manter a forma, eu ...  malho, como e durmo bem.

Uma personagem de novela marcante: São tantas... mas a Júlia Mattos, feita pela Sônia Braga em Dancin’ Days foi marcante. Não disse que era fã dela? (risos)

Minha primeira memória televisiva: Clube do Capitão Furacão, programa infantil da TV Globo com o Pietro Mário e a Elizângela!

A cena mais complicada que já fiz: Na televisão, foi em A Próxima Vítima, quando a Isabela era espancada pelo noivo, rolava uma escadaria... Foi bem difícil!

Ligo a TV para: O canal GNT, os programas jornalísticos, novelas e filmes. Eu gosto de TV!

Desligo a TV para: Programas sensacionalistas.


***


9 comentários:

FABIO DIAS disse...

ótima entrevista, e bem ousada da parte do Guilherme ao perguntar sobre a Playboy, ainda que bem sutil!
Parabéns!

Fábio
www.ocabidefala.com

Marisa Bloch disse...

Adorei Rainha da Sucata e a Isabela de A próxima Vítima. Estou acompanhando Vamp no Viva e amando as lembranças da época.

Telinha VIP disse...

Ótima atriz. Está precisando de um bom personagem. Silvio de Abreu foi quem deu as melhores oportunidades a ela.

Parabéns por mais essa ótima entrevista

Bjs a todos!

André San disse...

Gosto da Claudia Ohana! Foi minha musa quando molecote e via Vamp! Me diverti demais com ela em As Filhas da Mãe, e senti sua falta depois dessa novela. Afinal, sua participação em Canavial de Paixões foi curta e não via Malhação no tempo em que ela integrava o elenco. Então, para mim, o retorno de Claudia depois da Aurora foi mesmo a Cida, de A Favorita. Gostei muito da personagem! E ela arrasou também em Cordel Encantado, fazendo uma personagem mais contida, diferente de seus papéis anteriores. Espero que ela volte ao ar em breve!
André San - www.tele-visao.zip.net

Anônimo disse...

Dessa aí eu sou fã mesmo! Fui até assistir a um show da cantora Natasha, no circo do Marcos Frota, quando veio aqui pra Recife... rsrs.

Pena ela ser tão subutilizada na Rede Globo. Seu personagem em Cordel Encantado definitivamente não aconteceu...

Eduardo Vieira - Recife/PE

Lucas - www.cascudeando.zip.net disse...

Eu não sabia dessa comparação com a Sônia Braga. A cena dela em Vamp no primeiro capítulo é clássica! Gosto da Cláudia. Lembro de uma cena em "As filhas da mãe" que a personagem dela só falava "sinto-me muito feliz de ter sido convidada para esta festa" hehehe
Lucas - www.cascudeando.zip.net

Isaac Abda disse...

Não acho que a presença da Cláudia em A Favorita mereça constar da lista de melhores personagens da sua carreira, o máximo ali ela foi uma figurante de luxo, como alguns outros.

Mas concordo, ela deu um show em Rainha da Sucata, Vamp, A Próxima Vítima, As Filhas da Mãe.

Parabéns pela entrevistada, meninos!

Jovânio Mendes disse...

Precisa de mais uma boa oportunidade na TV, como as várias que já teve.

Daniele disse...

Adoroooooo esta atriz,é uma das melhores do BRASIL sem sombra de dúvida, versátil, talentosa, simpática .. etc etc etc....reforço que ela merece papéis k estejam à sua altura.