Somos amantes da teledramaturgia. Respeitamos a arte e a criação acima de tudo. Nosso profundo respeito a todos os profissionais que criam e fazem da televisão essa ferramenta grandiosa, poderosa, que desperta os mais variados sentimentos. Nossa crítica é nossa colaboração, nossa arma, nosso grito de liberdade.



ENTREVISTAS EXCLUSIVAS

Free DHTML scripts provided by Dynamic Drive

terça-feira, 23 de agosto de 2011












Voltando ao “ritmo de festa”
por Duh Secco


O SBT completa trinta anos, neste dia 19, com corpinho de... Sabe se lá qual a atual aparência da emissora após tantos anos de “efeito sanfona”, marcados por períodos turbulentos, alternados com outros de muito sucesso. Nascida TVS, a TV de Silvio Santos ficou conhecida por seu tom popular, que permeou toda a grade do canal nos anos 80.


Servindo de contraponto à elitizada Rede Globo, o SBT conquistou, em poucos anos de existência, a vice-liderança absoluta. Tal feito impulsionou o canal a aprimorar sua grade. No final da década de 80, programas de gosto duvidoso saíam de cena, dando lugar a atrações como o TJ Brasil, que trouxe Boris Casoy e a figura do âncora de telejornal, e o Jô Soares Onze de Meia, o primeiro talk-show do Brasil. Neste mesmo período, chegavam Hebe Camargo e Carlos Alberto de Nóbrega com o tradicional banco da praça. Gugu Liberato, hoje na Record, começava a despontar como apresentador e garantia ao canal bons índices nas noites de sábado, com o seu Viva a Noite.


Nos anos 90, Angélica vinha a completar a grade infantil, marcada por nomes como o palhaço Bozo e Mara Maravilha, além do curinga Chaves. Serginho Groisman despontava no cenário televisivo com o Programa Livre. Uma investida em dramaturgia, comandada por Nilton Travesso, elevou a audiência do horário nobre, com produções como Éramos Seis e As Pupilas do Senhor Reitor. Em 2001, novo período de engorda. A Casa dos Artistas, maior audiência do canal até os dias de hoje, arrebatou o público brasileiro e lançou os realities-show no país.

Acomodado na segunda colocação, o SBT viu a Record se aproximar e nada fez para impedir o avanço da concorrente. Perdeu o seu posto e, diante das investidas para recuperação de audiência, perdeu muito de seu prestígio. A crise do Grupo Silvio Santos agravou a situação. Mas o empresário e apresentador não esmoreceu. Aos poucos, o SBT tem batalhado o seu lugar. Ainda que com muitos tropeços, como o novo jornalismo e uma grade dominada por enlatados, a emissora começa a subir degraus na escalada pela audiência justamente com a linha que dominou seu conteúdo por muitos anos: a do popular.

Nós, do blog, esperamos realmente que esses trinta anos simbolizem um recomeço para o SBT. E levem aos seus comandantes a vontade de crescer e permanecer no ar por quantos anos forem possíveis... Sucesso sempre!



7 comentários:

Daniel disse...

O SBT tem programas que marcaram (e muito) a minha infância e adolescência. Amava de paixão o "Viva a Noite", curtia o "Show Maravilha" e os programas de auditório de Silvio Santos, especialmente o "Qual é a Música?". Gostava do "Passa ou Repassa" com o Celso Portiolli e confesso que assisti por um tempo o esdrúxulo "Márcia" e o bobinho "Alô Cristina". Já gostei muito da Hebe, hoje não muito... Acompanhei o Gugu no "Domingo Legal", nos bons tempos. Enfim, sempre simpatizei com o elenco de artistas do SBT e torço, de coração, para que o canal reconquiste o lugar que lhe cabe.

Portal Cascudeando disse...

A principal vantagem é que a Record se perdeu e o SBT pode fazer muitos investimentos pra se recuperar. Vamos torcer!
www.portalcascudeando.blog.com
@cascudeando

Jovânio Mendes disse...

O maior problema do SBT sempre foi a grade inconstante e a falta de respeito com o público. Tiram e botam um programa na grade com a maior facilidade, quando não trocam de horário. Falta organização e respeito com o público.
Silvio Santos é admirável, mas por vezes mete os pés pelas mãos.

@Fernand_Oliveira disse...

Adoro Sílvio Santos! Ele é divertido e sabe animar uma platéia. Gostei de algumas novelas da emissora, "Amor e Ódio", "Cristal", "Jamais te Esquecerei", as clássicas "Éramos Seis" e "As Púpilas do Senhor Reitor".

O CABIDE disse...

É incrível como Silvio Santos com tantos anos de apresentador ainda é a maior audiência do SBT mesmo nessa fase tão difícil que a emissora passa.

Legal seu post Duh!
Breve e direto.

Fábio Dias R.

Telinha VIP disse...

Falta mais visão no SBT. Respeito ao público, como já disseram aí. E investimento pesado em teledramaturgia, montar um bom cast. Já provaram que podem fazer boas novelas.

André San disse...

Cresci vendo o SBT e tenho muito carinho pela emissora. Torço pra que ela se reencontre.
André San - www.tele-visao.zip.net