Somos amantes da teledramaturgia. Respeitamos a arte e a criação acima de tudo. Nosso profundo respeito a todos os profissionais que criam e fazem da televisão essa ferramenta grandiosa, poderosa, que desperta os mais variados sentimentos. Nossa crítica é nossa colaboração, nossa arma, nosso grito de liberdade.



ENTREVISTAS EXCLUSIVAS

Free DHTML scripts provided by Dynamic Drive

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

E  S  P  E  C  I  A  L

60 ANOS DA TELENOVELA BRASILEIRA

com
AUTORES DE NOVELA  Parte II




Confira os novos depoimentos da segunda e última parte do especial.


Pedimos aos autores que relembrassem uma novela marcante desses 60 anos, que explicassem o motivo da escolha, e sugerissem uma atuação e uma cena inesquecível dessa novela. O resultado foi uma grande surpresa, carregada de grandes e emocionantes recordações.

Agradecemos a todos os autores que colaboraram com depoimentos exclusivos para o “Agora é Que São Eles”.


Não deixe de conferir o vídeo exclusivo com as homenagens dos autores e as cenas relembradas, logo depois dos depoimentos, no final dessa postagem.




CRISTIANNE FRIDMAN

Novela marcante/inesquecível: Dancing Days (1978) e Vale Tudo (1988). Deu pra perceber que sou fã de carteirinha do Gilberto Braga...



Razão da escolha: Vou falar de Dancing Days. Por que escolhi? Porque foi uma febre esta novela! Discoteca, ex-presidiária, muitas situações que até hoje ainda são exploradas na teledramaturgia.

Uma atuação ou uma personagem marcante dessa novela: Difícil destacar porque tinha excelentes atuações. Joana Fomm e Sonia Braga deram um show como as irmãs Yolanda Pratini e Julia Matos.

Uma cena inesquecível dessa mesma novela: A briga das irmãs no último capítulo. As personagens se estapearam, rolaram no chão do Copacabana Palace.



RICARDO LINHARES

Novela marcante/inesquecível: Pecado Capital (1975), versão original, de Janete Clair.


Razão da escolha: Pela trama e pelos personagens marcantes.

Uma atuação ou uma personagem inesquecível dessa novela: Salviano Lisboa, na interpretação do Lima Duarte, que virou a novela para ele, mudando o rumo da trama.

Uma cena inesquecível dessa mesma novela: A morte de Carlão (Francisco Cuoco), no último capítulo. Foi uma ousadia matar o mocinho. E a cena foi impactante.




WALCYR CARRASCO

Novela marcante/inesquecível: São duas as novelas marcantes da minha vida: Guerra dos Sexos (1983), de Silvio de Abreu e Vale Tudo (1988), de Gilberto Braga. São realmente inesquecíveis!





ANA MARIA MORETZSOHN

Novela marcante/inesquecível:  Esplendor (1999).


 
Razão da escolha: Foi a primeira que fiz, como única autora, na TV Globo. Já havia feito três na Bandeirantes.

Uma atuação ou uma personagem marcante dessa novela: Eram poucos atores e todos estavam muito bem.

Uma cena inesquecível dessa mesma novela: A morte de Adelaide (Cassia Kiss).




SÍLVIO DE ABREU

Novela marcante/inesquecível: Tenho duas: Vale Tudo (1988), de Gilberto Braga e Que Rei Sou Eu? (1989), de Cassiano Gabus Mendes.

  
Razão da escolha: Vale Tudo é uma trama perfeita que mistura melodrama e narrativa policial com maestria. Além de abordar questões sociais com profundidade e ter a coragem de criticar o sistema podre que herdamos da ditadura. Que Rei Sou Eu? vai pelo mesmo caminho da crítica política e social, mas com humor, e respeitando todas as regras de uma boa farsa. Além disso, o elenco de ambas é excepcional.

Uma atuação ou uma personagem inesquecível dessa novela: De Vale Tudo, Glória Pires e de Que Rei Sou Eu? Tereza Rachel.

Uma cena inesquecível dessa mesma novela:  De Vale Tudo a cena do primeiro capítulo onde Raquel (Regina Duarte) e seu pai (Sebastião Vasconcelos) discutem ética e moral com Maria de Fátima (Glória Pires). De Que Rei Sou Eu? fico com as cenas de Tereza Rachel e Dercy Gonçalves.



MARCÍLIO MORAES


Novela marcante/inesquecível: Irmãos Coragem (1970), de Janete Clair.
   
Razão da escolha: A excelência da autora, grande mestre. E o fato de ter feito o remake desta novela, quando li todo o texto, descobrindo os segredos da trama. Magnífica.

Uma atuação ou uma personagem marcante dessa novela: O Jerônimo, do Cláudio Cavalcanti, na primeira versão.

Uma cena inesquecível dessa mesma novela: João (Tarcisio Meira) arrebentando o diamante.









MANOEL CARLOS


Novela marcante/inesquecível: Que Rei Sou Eu? (1989), de Cassiano Gabus Mendes.
 
Razão da escolha: Ambientada no século 18, indicava um caminho possível de alternância no horário das 18 horas, que só foi compreendido agora, com essa explosão de criatividade de “Cordel Encantado”. Uma soma de acertos: texto + elenco + produção + direção. Tudo na medida certa, como foi em Que Rei Sou Eu?, em 1989.

Uma atuação ou um personagem inesquecível dessa novela:
Todos ficaram inesquecíveis na minha memória, a começar por Teresa Rachel.

Uma cena inesquecível dessa mesma novela:
Não lembro do varejo, mas do conjunto de boas cenas, espirituosas e inteligentes, como era o que o Cassiano fazia melhor do que ninguém.




VÍDEO ESPECIAL

Veja o vídeo com as cenas escolhidas pelos autores





CLIQUE AQUI  para ver a primeira parte deste especial, com os depoimentos exclusivos dos autores Margareth Boury, Miguel Paiva, Alcides Nogueira, Maria Adelaide Amaral, Renata Dias Gomes e Lauro César Muniz.



5 comentários:

Felipe disse...

Ótimo poder conferir um pouco do gosto particular dos autores em pauta! bela iniciativa! Parabéns!

Carlos Eduardo Nadotti disse...

Genial!
Adorei as cenas escolhidas, principalmente a do Ricardo Linhares! Final de Pecado Capital foi genial!

Kleiton Alves Hermann disse...

Senti falta de citarem alguma novela de Ivani Ribeiro e de Benedito Ruy Barbosa, mas acho que os autores preferiram citar as clássicas da Globo.

Muito legal essa interação com os autores!

Telinha VIP disse...

Muito bacana essa homenagem vinda dos autores. Legal saber do que cada um gostou. Luxo de postagem!

Bjs

apanhadogeral disse...

Que Rei sou Eu? comanda. Dizem que será o próximo lançamento da Rede Globo em dvd, e por isso não foi reprisada no Viva. Eu tenho um pouco de medo dessas edições para dvd. Achei algumas tramas de Roque Santeiro muito sacrificadas.