Somos amantes da teledramaturgia. Respeitamos a arte e a criação acima de tudo. Nosso profundo respeito a todos os profissionais que criam e fazem da televisão essa ferramenta grandiosa, poderosa, que desperta os mais variados sentimentos. Nossa crítica é nossa colaboração, nossa arma, nosso grito de liberdade.



ENTREVISTAS EXCLUSIVAS

Free DHTML scripts provided by Dynamic Drive

quarta-feira, 25 de julho de 2012

É culpa da Rita!
Repercussão de Avenida Brasil na internet aponta necessidade de medição de audiência na rede social

por Duh Secco



Nenhum assunto repercutiu tanto nas redes sociais nesta última semana quanto o centésimo capítulo de Avenida Brasil, no ar na quinta passada, 19 de julho. A descoberta de Carminha (Adriana Esteves) sobre a verdadeira identidade de Nina (Débora Falabella) levou a novela de João Emanuel Carneiro ao topo dos temas mais comentados do dia, no Twitter. Levou também milhares de fãs da novela a alterarem suas fotos no Facebook, colocando no lugar imagens com efeito semelhante ao que encerra os capítulos da novela das 21h. O próprio site da novela, aproveitando-se desta onda, tratou de ensinar os internautas a aplicarem tal efeito em suas fotos.


Falso MSN de Carminha (Adriana Esteves):
imagem fez sucesso no Facebook neste final de semana.
A fan-page das novelas da Globo também ajudou a propagar o feito de Carminha no Facebook. Imagens envolvendo a vilã se dissiparam nas linhas do tempo de usuários da rede social, fazendo graça com a mania de perseguição da mulher do ex-jogador Tufão (Murilo Benício), sempre atribuindo tudo de ruim que acontece em sua vida à sua enteada. É um feito impressionante, visto que Avenida Brasil nunca teve a intenção de atingir o público da internet, diferentemente do que acontece, por exemplo, com Cheias de Charme, que deixou a exibição de um dos momentos mais importantes de sua narrativa para a rede social, o clipe Vida de Empreguete, que alçou as protagonistas da novela de Filipe Miguez e Izabel de Oliveira ao posto de celebridades.


Já no ar, a descoberta da verdadeira identidade de Nina não fez tão bonito quanto a Globo esperava. O tal capítulo 100 marcou 40 pontos. Nos dias que se seguiram, Carminha enfrentou Rita / Nina e se vingou da cozinheira, enterrando-a viva, em uma das cenas mais tensas da história da teledramaturgia. Os números, entretanto, continuaram modestos: 39 na sexta e 35 no sábado. A novela só bateu recorde, 45 pontos, nesta segunda, dia em que Carminha comemorou sua vingança ao lado de Max (Marcelo Novaes) em um clube de swing e Nina voltou triunfante para a mansão de Tufão, onde enfrentou sua madrasta.


Nina (Débora Falabella), enterrada viva por
Carminha (Adriana Esteves): cena impactante.
A lentidão dos acontecimentos envolvendo as duas protagonistas de Avenida Brasil talvez tenha sido um dos motivos pelo qual a novela não se saiu tão bem nos números quanto esperado. João Emanuel Carneiro é um autor afeito a ganchos no final de cada bloco dos capítulos de suas novelas. Entretanto, os momentos decisivos de sua novela, nesta última semana, ficaram sempre para o último bloco da mesma, o que diminuiu o ritmo ágil no qual a trama se desenrolou até agora. Na quinta, Carminha descobriu quem Nina era realmente, mas só no final do capítulo de sexta, e no começo do de sábado, é que a vilã abriu o jogo com sua enteada. Foi até de se estranhar que as cenas envolvendo a vingança de Carminha contra Nina fossem levadas ao ar em um capítulo exibido no dia em que a TV costuma registrar seu menor share, o que certamente contribuiu para a audiência abaixo do pretendido.


A diretora-geral, Amora Mautner, ao lado de Mel Maia
(Rita): uma das responsáveis pelo sucesso da novela.
É fato que Avenida Brasil tem se saído muito bem, em todos os quesitos. O roteiro de João Emanuel é brilhante, bem como a direção de Amora Mautner e José Luiz Villamarim. O elenco é entrosado e todos os atores estão à vontade em seus personagens. A audiência contempla este bom trabalho, mas os números da novela ainda não superaram os de sua antecessora, Fina Estampa, novela que registrou os maiores índices do horário nos últimos tempos, mas que, diferente da trama atualmente exibida às 21h, não conquistou uma repercussão tão positiva nas redes sociais. Avenida Brasil alia bons números na medição do Ibope e também demonstra um fôlego enorme na internet, o que aponta a necessidade, cada vez maior, de se medir o tamanho do sucesso de uma determinada produção televisiva no meio virtual e aliar os índices obtidos à audiência, digamos, tradicional.


Griselda (Lília Cabral): a protagonista de Fina Estampa.
Em junho, o Ibope divulgou a elaboração de uma metodologia, denominada Buzz, que se destinaria a monitorar a repercussão de programas televisivos nas redes sociais e determinar sua relação com os dados de audiência. A pesquisa envolvia Fina Estampa e mostrava dados relacionados ao comportamento do internauta diante dos números do Ibope, o que levou o instituto a concluir que há relação entre audiência alta e comentários nas mídias sociais. Falta, entretanto, mensurar outros dados, como a quantidade de telespectadores que acompanham as novelas pela internet, comentam as mesmas enquanto navegam e  que continuam a dissertar sobre, mesmo após o término do programa, bem como os que não acompanham trama alguma, mas embarcam nos comentários de amigos e também se propõem a divulgar uma produção televisiva, ainda que indiretamente. Avenida Brasil, mais do que qualquer outra produção dos últimos tempos, explicita essa necessidade.



3 comentários:

Juliano G. Bonatto disse...

O sucesso de Avenida Brasil está anos-luz a frente do de Fina estampa, se compararmos as manifestações nas redes sociais. Até porque a atual novela é infinitamente melhor.

Rodrigo disse...

Apesar de "Avenida Brasil" possuir uma trilha sonora de muito mau gosto, de forte apelo popular e isso é proposital, a novela me parece mais chique do que "Fina Estampa", que apesar do título, foi uma das coisas mais bregas do horário nobre da Globo.
"Avenida Brasil" parece agradar mais à elite do que "Fina Estampa". Acho que essa é a diferença em termos de audiência.

Daniel Freitas disse...

Não tem nem comparação! Avenida Brasil é infinitamente superior a Fina Estampa, em todos os sentidos. Só não estou gostando muito dessa vingança de Nina. Muito clichê fazer Carminha de empregada. Poderia ser de uma forma mais inteligente, sei lá... E Carminha não tem o temperamento de aguentar tudo aquilo calada por tanto tempo, mesmo sob chantagem, mas enfim...