Somos amantes da teledramaturgia. Respeitamos a arte e a criação acima de tudo. Nosso profundo respeito a todos os profissionais que criam e fazem da televisão essa ferramenta grandiosa, poderosa, que desperta os mais variados sentimentos. Nossa crítica é nossa colaboração, nossa arma, nosso grito de liberdade.



ENTREVISTAS EXCLUSIVAS

Free DHTML scripts provided by Dynamic Drive

sábado, 19 de março de 2011

.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
De bancária a personal stylist. Aline Reis se divide entre dividendos e sua coleção de esmaltes. É antenada nas tendências da moda, principalmente quando a moda é lançada em alguma novela, outro de seus assuntos preferidos. Já tendo nos brindado com ótimos textos em outros blogs, como o Memória da TV, Aline agora traz um aspecto da recém-findada Ti Ti Ti muito pouco comentado. Segue o texto da nossa convidada especial de hoje. E os nossos agradecimentos à ela!


Adeus à novela das tendências e referências
por Aline Reis

Depois de longos oito meses no ar, Ti Ti Ti dá adeus ao horário das sete com a missão cumprida: recuperou a audiência que não andava nada boa. Mais do que um sucesso, a novela fez a alegria de muita gente que viveu os anos 80 e dos que gostam de moda.

A trama fez muito mais do que lançar tendências, trouxe a moda das ruas. Jaqueline revisitou o visual pantera do final dos anos 70 com seus cabelos longos, lenços e acessórios extravagantes. A personagem de Cláudia Raia foi a que mais usou e abusou das referências aos anos 80: o ponto alto foi quando declarou que Ilariê era a música de sua vida - apesar de já não ser nenhuma criança quando o sucesso de Xuxa foi lançado. Uma das cenas mais deliciosas de se assistir foi ver Jaqueline e Suzana (Malu Mader) entoando juntas a música de abertura de Fera Radical. Mais saudosista impossível.

Mas se em 1985 todas queriam o Boka Loka, em 2010/11 o Batom Mega Impact do Victor Valentim só pegou mesmo na novela. Ninguém usou nem comentou, ao contrário dos esmaltes lançados para determinadas personagens. Foi injusto algumas terem ficado de fora, como Suzana. Já algumas cores passaram despercebidas, como o Camila e o Rebeca. Apenas Marta e Mabi, com o tom queridinho da coleção, usaram do início ao fim. E novamente Jaqueline aparece, porque seu esmalte é nada mais que o clone brasileiro do lançamento da Chanel para o inverno 2011. Não tem Black Pearl, vai de Jaqueline.

Maria Adelaide Amaral e seus colaboradores souberam como atualizar o enredo e trazer as histórias com mais de 25 anos para o século XXI. Uma das ferramentas foi a internet, constantemente usada nos blogs das revistas Moda Brasil, Drix e, principalmente, por Beatrice M. A filha caçula de Jacques Leclair que entendia de moda mais que toda a família junta (até que descobrissem o paradeiro de sua avó Cecília, evidentemente) foi inspirada em Tavi Gevinson, blogueira americana de 14 anos que escreve desde os 11 e é a queridinha de estilistas como Marc Jacobs.

No entanto, nem tudo são flores e muita coisa poderia ser melhor, várias tramas se perderam e, como de costume, tudo se resolve no final. Mas admito que sentirei falta, há algum tempo uma novela não me prendia e a partir do dia 21 estarei um pouco órfã, até que outra tome o seu lugar. Seja como for, Ti Ti Ti sempre estará no meu coração.

.

4 comentários:

edu disse...

Adorei esse comentário fashionista....é tão legal enxergar mesmo por outro lado!!! Fiquei curioso no final quem fez as roupas, naquele desfile do supemercado....eram horríveis...rsss as de ontem, do Jaques eram bonitas, a da Strum, eu achei deploráveis também, assim como o vestido do Valentim vermelho, muito cafona!!

Deh_Alencar disse...

Super adorei esse texto da minha querida Aline... confesso que quando soube que Maria Adelaide Amaral faria uma novela no horario das sete depois de tanto tempo dedicada especialmente a minisséries fiquei mt feliz..mesmo essa felicidade findando com o final de "tempos Modernos" tá eu assisti e gostei sim... mas falamos de tititi.
maria adelaide conseguiu retomar um humor que nas novelas estavam perdidos.. o humor sem malicias... trouxe personagens incriveis.. com roupas esplendorosas, e ousou bastante ao incrementar em sua trama outros nomes e personagens de novelas que foram produzidas antes na maioria das vezes esses personagens foram grandes homenagens a seus amigos e fiéis companheiros de uma vida...
adorei texto direção,atuações que ficaram pra sempre na memoria de quem acompanhou a novela desde o inicio... aqui vai um parabens ao blog. bjus
deh alencar

Mary disse...

Grande Aline! Minha amiga querida é fashionista chique de doer :)
Beijos

Marcelo disse...

Line,
Achei, de cara, uma graça ver sua feminina foto ilustrando a capa do blog. É o primeiro rosto feminino do blog, desde seu lançamento!

Olha, sobre "Ti Ti Ti" vou ser bem conciso: nosso amigo Fábio, num dia me disse, após um comentário maldoso meu sobre a novela: "Ai, eu não aguento mais discutir com esses fãs da primeira versão de "Ti Ti Ti"!" Eu ri e entreguei os pontos. Não vi a versão original da novela em nenhuma das duas exibições mas com a postagem da novela no Orkut, assisti, interessadíssimo, boa parte do inicio da novela de 1985 e fiquei apaixonado por alguns personagens. Marta e Gabriela em especial. Já, da adaptação livre da Maria Adelaide, desisti da novela já na primeira semana.

O que me impressionou em seu texto foi o "feeling" de reconhecer, identificar as marcas dos cosméticos usados pelas atrizes de uma novela cujo tema central era a moda.

A moda vem das metrópoles e tanto a Ti Ti Ti original quanto a adaptada foram ambientadas em São Paulo, a cidade que é o centro da moda no País.
Os amantes do Rio dizem que a moda sai de Ipanema mas francamente não há como usar shortinhos e tops com o clima frio de São Paulo.

Sou publicitário de formação e eu reconheci um olhar absolutamente publicitário na exposição da nossa querida colega Line. A inteligência dela é mercadológica, no sentido mais técnico desse termo. Aline faz uma relação entre o cosmético usado pela personagem e a marca do produto. Ainda tira fotos para mostrar a embalagem (outro conceito mercadológico) do produto, com a logomarca no adesivo da frente. Isso é muito inteligente da parte dela. Não ser apenas uma espectadora que consome os produtos anunciados na novela. Aline conhece os produtos e ainda tem um raciocínio e uma opinião bem formada sobre eles.

Nem preciso elogiar o texto em si. Apenas não curto muito limitar o
conhecimento de moda e estética de Aline ao “que cosmético tal personagem está usando e fazendo moda?”. Ela vai além, isso fica claro. Aline é classificada como personal stylist. Tudo bem é uma profissão que vem crescendo desde que a Cláudia Raia apresentou o seu à imprensa. O conhecimento de Aline permite que ela vá além e, pela forma que ela escreve, seria um ótimo contato entre agências de modelos e agências de publicidade. Espero que você enxergue isso.