Somos amantes da teledramaturgia. Respeitamos a arte e a criação acima de tudo. Nosso profundo respeito a todos os profissionais que criam e fazem da televisão essa ferramenta grandiosa, poderosa, que desperta os mais variados sentimentos. Nossa crítica é nossa colaboração, nossa arma, nosso grito de liberdade.



ENTREVISTAS EXCLUSIVAS

Free DHTML scripts provided by Dynamic Drive

domingo, 29 de maio de 2011

.
.
.

Guilherme Staush e Daniel Pepe

entrevistam

GILBERTO BRAGA e RICARDO LINHARES


Gilberto Braga e Ricardo Linhares formam uma parceria de sucesso na TV. A marca da dupla pôde ser vista em novelas como: O Dono do Mundo, Lua Cheia de Amor, Celebridade e Paraíso Tropical. Atualmente, os dois assinam mais um folhetim de sucesso: Insensato Coração, a novela das 9 da Rede Globo.

Ricardo já demonstrou que tem talento e uma vida profissional independente, que vai além de suas parcerias, seja com Gilberto Braga ou Aguinaldo Silva.
Embora envolvido com muito trabalho no momento, arranjou um tempinho para nos presentear com essa maravilhosa entrevista.

Gilberto já é um autor consagrado, e ao longo de sua trajetória de 40 anos na TV, coleciona sucessos como: Escrava Isaura, Dona Xepa, Dancin’ Days, Água Viva, Anos Dourados e Vale Tudo, entre outros.
Bem mais econômico com as palavras do que seu parceiro na novela, o autor deixa um gostinho de “quero mais” na entrevista. É um homem que tem muito a dizer, mas prefere falar somente o necessário.

Agradecemos aos dois autores pela disponibilidade de responderem ao "Agora", e pela oportunidade de tê-los juntos no nosso blog.



 
ENTREVISTA EXCLUSIVA


Guilherme Staush pergunta:


1- Em Insensato Coração, vocês optaram por mostrar o processo de mudança de caráter da enfermeira Norma (Glória Pires) de maneira lenta, talvez para que o público pudesse entender bem o que vai levar a personagem a se tornar uma pessoa cruel e vingativa. Como é para o autor ter que tomar a decisão de privilegiar uma história com ritmo mais lento e, consequentemente, uma trama bem contada, ao invés de investir em uma novela mais ágil, para um público ávido por ação, e que já esperava ver Glória Pires fazendo maldades na semana de estreia?
 
Gilberto Braga: Nós trabalhamos com intuição, o ritmo é o que prevíamos, estamos bem satisfeitos com o resultado. Na minha opinião, está havendo ação o tempo todo.


Ricardo Linhares: A novela tem um ritmo muito ágil no todo. Isso é consenso em todos os grupos e pesquisas feitas pela emissora. Na fase em que Norma esteve presa, aconteceu muita coisa com a personagem. Sem falar que houve uma evolução psicológica em crescendo que culminou em Norma ser mediadora numa rebelião e assassinar Araci. Se Norma não tivesse passado pelo que passou na cadeia, não teria estofo para realizar ações futuras, como plantar drogas na mochila do acompanhante de Teodoro, por exemplo. Mas concordo que, em termos de ação exterior, o núcleo do presídio tinha outro ritmo, dependendo da fase. Isso foi proposital para marcar a mudança interna de Norma o que, a meu ver, era mais importante do que acelerar a ação física.

Sobre o público querer ver Glória Pires cometer maldades desde o início, isso é tão relativo. Houve quem quisesse isso, sim. Mas, também, houve quem pedisse para ela ser reabilitada e esquecer a vingança. Houve quem desejasse uma Maria de Fátima revivida e quem  esperasse uma heroína. Entre vários outros pedidos. O público de novela é tão amplo, abarca tantas classes sociais, econômicas e culturais que torna impossível haver unanimidade. E isso nem deve ser procurado.

Há uma ansiedade natural cercando todo início de novela, ainda mais quando envolve uma estrela com o carisma da Glória. O público tem expectativas, dá palpites, torce, reclama, elogia. É um processo natural e rico. Como nós temos uma história sólida e bem planejada, seguimos em frente com o que estava previsto em sinopse, com segurança do que estávamos fazendo. Norma tinha que passar pelo processo de crescimento e amadurecimento pelo qual passou. Léo também precisava ascender socialmente. Agora, os dois estão prontos para o segundo ato da trama.



Daniel Pepe pergunta:

2-    Em Insensato Coração, existem muitas tramas paralelas que têm a mesma importância da trama principal. Algumas têm repercutido mais, outras menos. Em suas novelas anteriores, as paralelas estiveram ali, acompanhando a principal, mas esta sempre teve o destaque maior. Houve alguma ideia entre vocês em mudar um pouco o estilo de contar uma história?


Gilberto Braga: Sim, nós queríamos uma novela com ar de painel.


Ricardo Linhares: Houve a ideia de propor uma mudança de estilo, sim. A sinopse foi criada assim. Planejei uma narrativa diferenciada. É uma nova forma de se contar uma história. Não vai revolucionar o gênero, a proposta nunca foi esta. E, sim, de mudar um pouco o estilo para se contar esta história específica, com inúmeras participações e histórias que se resolvem e abrem espaço para novas tramas. Num certo sentido, posso dizer que a história segue o fluxo da vida. Quantas pessoas passam por nós e depois somem? Algumas ficam um tempo maior, outras, um breve período. Assim nasceram as participações especiais que movimentam a trama, agilizam a narrativa, trazem novidade. Há de participações curtas (José Wilker, Fernanda Machado, Vera Fischer, entre outros) a participações mais longas (Ricardo Pereira, Ana Beatriz Nogueira, Cristiana Oliveira, Angela Vieira, por exemplo). E participações mais longas ainda, como o Tarcísio, por volta de 100 capítulos. E personagens que voltam, como o de Milton Gonçalves, pai de André, que em breve retorna.

Os personagens fixos não são estanques. Basta analisar a trajetória da Daisy, por exemplo, para ver que todos evoluem e têm uma trajetória ascendente.

É natural que algumas histórias repercutam mais, outras menos, tanto nos núcleos fixos como nas participações. Novela é uma coisa viva, quente, uma obra aberta, escrita à medida em que vai ao ar.







Guilherme Staush pergunta para Ricardo Linhares:

3-  Como é feita a divisão de trabalho entre Gilberto e você? Para quais núcleos cada um de vocês escreve?

Ricardo Linhares: A divisão do trabalho entre nós não é feita por núcleos. Escrevemos a sinopse a quatro mãos, com a participação fundamental da nossa equipe de escritores. Temos uma reunião semanal para bolar tramas. Eu divido as escaletas com o João Ximenes. Escaletas são a espinha dorsal de um capítulo. É a estrutura, cena a cena, com o tamanho que deve ter cada cena, os intervalos e os ganchos. Depois, eu distribuo as cenas entre os membros da equipe para que escrevam os diálogos. Nossa equipe é formada por Angela Carneiro, Fernando Rebello, Izabel de Oliveira, João Ximenes Braga, Maria Helena Nascimento, Nelson Nadotti e Sérgio Marques. Cada redator tem tendência a escrever com mais intimidade alguns núcleos, de acordo com o seu perfil. Eu distribuo assim, para que cada escritor acompanhe a trajetória de determinados personagens. Depois, um dos membros da equipe recebe as cenas dos redatores e monta o capítulo, que é enviado ao Gilberto. Todos leem e dão palpites. Gilberto faz as correções necessárias. Manda o capítulo para mim, que faço a redação final.



Guilherme Staush pergunta para Gilberto Braga:
4-  Em Insensato Coração, Norma foi presa injustamente. Vale recordar outros personagens das tuas novelas que também viveram a mesma situação: o André (Fábio Assunção) de “Labirinto”, a Sônia (Zezé Motta) de "Corpo a Corpo", a Ester Dellamare (Malu Mader) de “Força de Um Desejo”, o Daniel (Fábio Assunção) de “Paraíso Tropical”, e a Maria Clara Diniz (Malu Mader) de “Celebridade”. Por outro lado, personagens do mal conseguem fugir impunemente ou frequentemente morrem no final das tuas novelas. Isso é apenas um recurso ficcional ou representa uma crítica à impunidade ou às falhas cometidas pelo sistema penal?

Gilberto Braga: Crítica à impunidade sim. Falhas no sistema penal, nunca pensei no assunto.


Daniel Pepe pergunta para Ricardo Linhares

5-  Em recentes entrevistas você tem afirmado que não existe mais tanto espaço para o realismo fantástico nas novelas, pois a realidade se tornou mais pesada, além de teoricamente vocês terem mais liberdade de falar sobre o que quiserem, entre outros motivos.
No entanto, nota-se nas comunidades virtuais que muitos telespectadores sentem falta daquelas histórias que fizeram muito sucesso nos anos 90, como Pedra Sobre Pedra e A Indomada. Existe algum empecilho por parte da emissora, que tenderia a vetar essas tramas, ou parte de vocês mesmos não apresentar sinopses desse tipo?


Ricardo Linhares: Não existe empecilho. Eu acho que não há mais espaço para uma trama de realismo fantástico na novela das 9. As pessoas querem ver a realidade, o dia-a-dia. Mas isso não quer dizer que um trabalho do gênero não possa ser feito numa minissérie, por exemplo. Ou, então, num remake. Eu tenho o projeto de fazer um remake de Saramandaia, enxuta, no formato de macrossérie, de duração média. Se as novelas citadas forem exibidas em reprises, vão fazer sucesso novamente. Só não acho que se adequem mais ao horário das 21h.


Daniel Pepe pergunta:

6- Lauro César Muniz, em recente entrevista, declarou que iria chamar alguns colegas de profissão,  para uma campanha contra o que considera uma ameaça  à sobrevivência das novelas no Brasil. O intuito seria implantar um esquema com novelas mais curtas e menos personagens. O que vocês acham dessa ideia?
 

Gilberto Braga:  Gostaria muito de fazer novelas mais curtas. Mas não sei como posso obrigar a Globo a diminuir o número de capítulos.

Ricardo Linhares: Sou totalmente a favor de novelas mais curtas. Com menor duração, não precisaríamos de tantos núcleos, tantos personagens. A narrativa diferenciada de Insensato tem a ver com isso. As diversas participações são para gerar novidade, com pequenas tramas com começo, meio e fim. As novelas das 18h já estão bem mais curtas. A novela das 21h é que são enormes, os capítulos têm mais de 1 hora no ar. Mas a novela das 9 é o carro-chefe, não só da Globo, mas da TV brasileira. Cada capítulo de Insensato tem mais do que o dobro da audiência da soma das concorrentes no horário. Quando a novela acaba, a audiência cai, grande parte das pessoas desliga a TV, não migra pra outro canal, vai dormir. Por isso eu entendo a duração excessiva dos capítulos. É o que segura o público brasileiro na frente da TV.
 


Daniel Pepe pergunta para Gilberto Braga:
7-      É sabido que na época de "Escrava Isaura" você foi chamado pelos censores, que lhe impediram de usar a palavra "escravo" na novela e teve que substituí-la. De acordo com o site Extra Online, atualmente em "Insensato Coração", vocês cortaram a expressão "menage a trois" para não chocar telespectadores mais conservadores. Infelizmente essa prática é adotada por outros autores por sofrerem o mesmo tipo de pressão. Poderia nos dizer o que mudou da época em que era censurado para agora que se sente no dever de se autocensurar?
Gilberto Braga: Eu não cortei esta expressão. E autocensura sempre tive. 


Guilherme Staush pergunta:

8- Que avaliação vocês fazem do elenco de Insensato Coração? O que estão achando do desempenho dos protagonistas Paola Oliveira, Eriberto Leão e Gabriel Braga Nunes, com quem vocês nunca haviam trabalhado antes? Citem alguns nomes que têm surpreendido positivamente.
 

Gilberto Braga: Todos estão ótimos. Não está sendo surpresa porque apostei neles.

Ricardo Linhares: Eu acho o elenco sensacional. Sempre quis trabalhar com o trio citado. No geral, todos estão tão bem que seria injusto citar alguém em especial.


***

18 comentários:

Walter de Azevedo disse...

Ótima entrevista. Ricardo Linhares amadurecendo como autor.
Parabéns!

Marcio disse...

Parabéns pela entrevista, meninos!! Ótima, mesmo com o Gilberto (sempre) econômico nas palavras!!!

Suzana disse...

Ótima entrevista! Parabéns ao blog.
Muito bom saber que pode vir remake de Saramandaia por aí. Uma novela que eu smepre quis ver.

edu vieira disse...

Então quem escreve a novela mesmo é o Linhares e o João Ximenes. O Gilbeto supervisiona e checa se está escrito ao estilo dele. Fiquei decepcionado.Novela de grife! Mas continuo gostando da novela e acho que participações sempre houve, apenas encavalavam mais as novelas que já tinham grandes elencos.Por que o Gilberto Braga é sempre tão sucinto? É claro que eles não iriam criticar alguém do elenco ...

vilsonm. disse...

Meu DEUS. Nem a redação final da novela é do Gilberto. Agora ta explicado...

Elton Menezes Severo disse...

Acho ridículo um autor que age como o Gilberto nessa entrevista. Só pela forma como ele responde, dá para notar que está sem paciência alguma para dar entrevista, quase soa como obrigação, enquanto o Ricardo se mostra completamente à vontade.
O que parece é que os anos de sucesso tornaram Giba e outros autores um verdadeiro arquétipo daquilo que, por tanto tempo, criticaram.
Engraçado que já vi outras entrevistas dele, e não foram assim. Parece que ele não demonstrou respeito pelo trabalho dos garotos, e olha que eles fizeram perguntas fabulosas, mostrando conhecimento. Fugiram às idióticas perguntas sobre novelas de luxo, que sempre fazem.
Gilberto, embora os rapazes não estejam fazendo entrevista para uma revista superpopular, eles te conhecem melhor e te idolatram mais do que 90% dos que te entrevistam por obrigação. Se você não sabe levar isso em consideração, meu caro, melhor se aposentar.

Tela TV disse...

Eu acho que independente de quem escreve a novela, ela é ótima. Se o Gilberto conseguiu conquistar uma posiçÃo cômoda que lhe permite simplesmente supervisionar um texto, ótimo pra ele. Ou por acaso quem escreveu TiTiTi foi a Maria Adelaide Amaral?

Anônimo disse...

Ótima entrevista, garotos! Por vocês e pelo Linhares! Quanto ao Gilberto Braga, que decepção...

Eduardo Vieira - Recife/PE

E.S. disse...

Adorei a entrevista e parabenizo os entrevistadores. Mas não deixo de sentir uma pontinha de tristeza ao lembrar das entrevistas antigas de Gilberto, até os anos 90, eram interessantes, eram entrevistas mesmo. De uns tempos pra cá se tornou difícil obter qualquer declaração dele.

E confesso, não foi surpresa pra mim descobrir que ele não escreve mais os diálogos. Eu identifiquei alguns diálogos dele no início da novela, mas depois nunca mais achei... Mas tenho esperança que alguma cena chave como o confronto entre Norma e Léo seja ele que escreva. Oremos.

Concordo com a maior parte do que Elton Menezes disse.

FABIO DIAS disse...

Parabéns pela entrevista. Muitos tentaram mas não conseguiram! Sairam na frente!

Agora está explicado, a fraca novela, me desculpe Ricardo Linhares, mas não acho que tem perfil de autor de novela das 21 horas!

Insensato COração deixa a desejar! Essa novela não é de GIlberto Braga e sim de Ricardo Linhares com sua supervisão!

Isaac Abda disse...

vocês estão de PARABÉNS, rapazes!

entrevista muito bacana... possibilitou-nos constatar que o Braga já de algum tempo não é o mesmo...

o Linhares é também um bom autor, mas em parceria com o Braga, não caberia a ele a redação final do texto, nisto está a falha...

o Braga parece estar infeliz, enfadado... se até para responder algumas poucas perguntas ele se mostra tão econômico, "seco", penso no enorme "sacrifício" que deva fazer para "atuar" como escritor de novelas!

Nanda disse...

Acho que não importa quem está escrevendo a novela, se um ou o outro. Eu gosto bem mais de Insensato do que de muitas novelas escritas pelo Gilberto. Cada autor tem seu estilo e agrada um público diferente. Nao sei por que as pessoas fazem tanta questao de que o Gilberto escreva a novela.

Guilherme Fernandes disse...

Parabéns pela entrevista, por diversos motivos. Como jornalista sei da dificuldade em falar com um autor, ainda mais quando a está no ar... Isso se deve ao já sucesso do blog. Em segundo, pelas perguntas, fugiram do óbvio e das perguntas tradicionais. As falas do Braga parecem ter sido ditas por obrigação, enfim, não gostei... mais o Linhares respondeu com gosto e leveza. Gosto muito de Insensato Coração, bom elenco, com texto e creio que um dia poderá se tornar um marco na teledramaturgia.

Parabéns

TH disse...

Acho ridículo um autor que age como o Gilberto nessa entrevista. Só pela forma como ele responde, dá para notar que está sem paciência alguma para dar entrevista, quase soa como obrigação, enquanto o Ricardo se mostra completamente à vontade.(2 votos)

Disse tudo Elton. Não é de hoje que vejo a postura arrogante do Sr. Gilberto Braga, que já assumiu declaradamente não ter uma boa relação com seus próprios fãs.

A entrevista, os entrevistadores e Ricardo Linhares, contudo, estão de parabéns!

Telinha VIP disse...

Como é que vocês conseguiram essa entrevista??? rs
Nós estamos tentando entrevistar os autores desde que a novela começou, e Ricardo disse que só quando a novela acabar!
Parabéns pela conquista. Ótima entrevista e Ricardo mostrou que é bem generoso nas respostas, que gosta do que faz e entende da novela que escreve.

Um abraço de uma invejosa jornalista.

Anônimo disse...

Ótima entrevista com grandes revelações do Ricardo. Parabéns ao blog por essa conquista!

edu vieira disse...

eu espero uma novela bem legal apenas do Ricardo Linhares. Ele merece mesmo!!! Um gentleman!

Henrique disse...

De fato o Gilberto Braga foi muito seco mais se pararem para ver ele sempre foi assim, em Pátria Minha no auge das especulações de racismo, não foi ele que deu esclarecimento e sim o colaborador Sergio Marques é do feitio dele não se pode julgar uma pessoa pelo seu jeito
Quanto ao Ricardo Linhares e nítido que o principal da novela não é dele o estilo de Insensato Coração e todo Gilberto Braga, por favor, é só ver as outras novelas do Ricardo se bem que me pergunto qual é o estilo do Linhares? (Aguinaldo Silva?) os vilões bem construídos, reviravoltas são típicas do Braga. Mas de fato me preocupei com essa historia do Gilberto não escrever mais as falas e nem fazer o roteiro final que isso? O Linhares ainda não tem experiência para o horário nobre Pelo amor de Deus essa parceria Braga Linhares ta detonado o talento do Gilberto cadê a globo que não interfere nisso imediatamente. Pra finalizar alguns elementos presentes em Insensato Coração já havia ocorrido em novelas de Gilberto Braga antes mesmo de o Ricardo sonhar em escrever novelas o Ricardo Linhares tava e querendo aparecer pois pode ate ser ele que escreve os diálogos da novela mais ele jamais s terá um terço do reconhecimento que o Gilberto tem